Category

Sem categoria

Gancho

By | Sem categoria | No Comments

Ao pular do alto da ilha, João estava em processo de transformação. A água no local fica preta, como que suja com petróleo. Ele some. Corta. Vemos um rastro preto numa faixa de mar se aproximando da uma praia. A mancha negra segue pela areia. Até um corpo deitado. A camara se afasta. Pode ser que ele tenha sobrevivido. Fim da temporada 1.

Arraia

By | Sem categoria | No Comments

Ele estava nadando não muito longe da praia. Quando viu uma arraia gigante que se aproximou, olhou o nos seus olhos e sumiu. Percebeu que havia algo de mágico naquele momento. Que havia alguma coisa de mágico nele mesmo.

Kafka à beira-mar

By | Sem categoria | No Comments

Da pequena mesa redonda, cercada de quatro cadeiras, onde apoio meu computador, vejo a ponta da praia que emenda com o começo do morro. Ele toma toda a paisagem à minha esquerda. Mato denso. O mar parece violento nesse pequeno pedaço e fixo na minha cabeça que isso é característico desse local. É mais romântico. O barulho, de qualquer forma, é sempre muito alto. O volume exato. Suficiente para ajudar a adormecer, mas não tão alto que me acorde. O cheiro do sal inspira. Assim como a edição de Murakami que está fechada do lado do teclado. Hora de voltar para a leitura.

 

Três Marias

By | Sem categoria | No Comments

“No mar que banha o norte, há um lugar, um momento, que revela três pedras quase gêmeas. São chamadas de TRÊS MARIAS. São capazes de várias coisas, inclusive de atender desejos.”

Queimada.

By | Sem categoria | No Comments

 

 

 

Guaraci consegue controlar sua intensidade enquanto está na terra.
Mas não por muito tempo.

– Não vou aguentar muito mais JOÃO
– Mas ainda temos que falar

A luz aumenta. As arvores em volta começam a secar.

– Acho que você vai ter que resolver isso sozinho. Dessa vez.

Histórias paralelas.

By | Sem categoria | No Comments

Somente pra registrar a possibilidade das histórias particulares de cada mito se misturarem com a trama principal.

Assim, por exemplo, no meio de algum capítulo qualquer, fazemos uma pausa para acompanhar o despertar de Salomé, a prostituta que acaba de perceber que está carregando a maldição.

Isso necessariamente condiciona a produção de linhas narrativas específicas para cada mito. Resumidas, mas reais, como se pudéssemos contar micro histórias dos personagens para complementar a história principal.

Herança

By | Sem categoria | No Comments

“Alguns eram filhos de excluídos, outros inventavam uma marginalidade própria, não herdada.” Contardo Caligaris FSP 19/01/2012

Qual será o caso de João Batista?

“O que lhe faz pensar que eu queira ter uma vida parecida com a sua?”. idem

Storycubes.

By | Sem categoria | No Comments
o Jogo entre o Sol e as Estrelas, ou entre Guarací e Anhangá, é jogado sobre três tabuleiros hezagonais que se conectam em apenas um dos lados. São cortados por linhas que ligam todas as esquinas da  forma.
Sobre o tabuleiro, repousam os personagens da fábula, como peças de um xadres muito, mas muito específico. E, literalmente, fantástico.
Obviamente, dada a complexidade desse jogo, os dados usados não poderiam ser simplesmente cubos com suas características bolinhas pretas marcando os números.
Os dados são direcionadores de histórias. Criadores de narrativas. definidores de destinos.
São “Storycubes”
Isso deixa tudo muito mais interessante.

A verdade sobre as Mulas Sem Cabeça

By | Sem categoria | No Comments

Isso deve ter acontecido muitas vezes com meus antepassados. Incontáveis são as cidades que trazem em algum momento de sua história a maldição da Mula Sem Cabeça.

Mas para mim, aquela foi a primeira vez. E isso é sempre inesquecível.

O que mais me impressionou não foi a luz cegante que emanava das chamas. Nem o arrepio que senti, e ainda sinto, quando ouvi o relinche daquela besta.

O que me deixou absolutamente perplexo, chapado de medo, foi o tamanho daquele monstro. Talvez na história da humanidade ninguém tivesse chegado perto o suficiente para se dar conta do fato. Aquilo não era uma Mula. Longe disso. Aquilo era uma égua. Grande, forte, e completamente descontrolada.

Homem com muitas tatuagens

By | Sem categoria | No Comments

Eu conheci Pekka Arpinen na Suécia. Num primeiro momento achei que ele estava falando russo, o que o deixou bastante chateado, sendo finlandês. Seu sobrenome, numa tradução livre, significa “homem com muitas tatuagens”.